Todos nós vivemos momentos em que queremos uma determinada coisa e o seu contrário. Queremos perder peso, mas queremos continuar a saborear delicias. Queremos desfrutar da saúde, mas queremos continuar a fumar. Queremos ter um corpo bonito, mas queremos ficar vendo televisão deitados no sofá. Esses são exemplos simples, mas vivemos tantos outros…

Os conflitos internos são frequentes, mas nós não damos muita atenção para o verdadeiro problema. Normalmente só damos atenção à suas manifestações tais como as emoções desagradáveis de tristeza, de raiva, de medo. Sem ter consciência que essas emoções na verdade se manisfestam para trazer uma mensagem do nosso inconsciente, que uma de nossas necessidades não está sendo satisfeita. Tenho necessidade de conservar minha saúde para aproveitar a vida com minha familia, mas preciso também da sensação de calma que o cigarro me traz.

Quando 2 ou mais necessidades se opõem, assim como 2 valores ou crenças opostas nos perseguem, é possível de nos sentirmos pesados, sem energia, perdidos, confusos, anciosos…. Nesses momentos tentamos achar um culpado à essas sensações desagradáveis. Por facilidade e também por automatismo, nós vamos descontar nosso mal estar nas pessoas que nos cercam, com agressividade gratuita, irritação, nervosismo, ao invés de procurar dentro de nós mesmos o verdadeiro problema.

Como nós nos jugamos muito espertos e independentes, nós iremos fazer tudo para calar a parte de nós mesmos que nos incomoda. Assim, optamos pelo consumo de bebidas, de medicamentos e até mesmo pelo excesso de alimentos para “tentar tapar o sol com a peneira.”

Infelizmente esses meios para calar nosso mal estar interior só vão funcionar durante um tempo curto, quando funcionam… Ingênuos, pensamos que achamos ai a solução. O consumo se torna mais frequente e mais importante, porém o efeito já não é mais o mesmo que a primeira vez.

Assim continuamos a descer no inferno do nosso desespero! O problema inicial não foi solucionado e teremos de bonus um problema ou uns problemas a mais!

No entanto, tudo isso poderia ter sido evitado ou solucionado se nós tivessemos identificado as partes de nós mesmo que estavam em conflito. Se tivessemos procurado saber do que realmente precisamos e entender o porquê da nossa tristeza, da nossa raiva, dos nossos medos…

Nós não achamos palavras que possam expressar nossos males e procuramos a solução deles no lugar errado, ou seja, fora de nós mesmos.

Você já tentou escutar as partes de você que se opõem? O que elas têem para te dizer? Do que elas precisam? Como você poderia colocar cada uma delas frente a frente para que elas se confrontem?

Saiba que quando você se encontra em conflito interno, você poderá manifestar um outro sintoma possível: a auto sabotagem. Ou seja, você não conseguirá atingir seu objetivo pois uma parte de você não quer isso e fará de tudo para que você fracasse!

A auto sabotagem é um meio empregado pelo nosso inconsciente para comunicar conosco. Tente analisar a intenção positiva que se esconde por detrás dos seus comportamentos impedindo você de obter êxito. Por exemplo, se você deseja emagrecer mas tem dificuldade em resistir à tentações, procure saber que tipo de sensação um bom bolo de chocolate te traz (prazer?, calma?, convivialidade entre amigos ou familia?…). Qual outro meio poderia te trazer essa sensação que procuras? Seja o que for, é importante de substituir um comportamento que te impede de atingir seu objetivo por um outro que satisfará a intenção do seu inconsciente.

Para evitar conflitos entre as partes do seu inconsciente, você tem que decidir que parte você quer defender. Isso! Você tem que escolher e fazer a outra parte desaparecer para que você se sinta leve e feliz, e para isso você tem que ter força de vontade! Se  você decidir de fumar, esqueça a parte de você que quer conservar uma saúde intacta! Se você decidir de manter sua saúde intacta, pare de fumar!

É essencial juntar as partes de você, para que você forme um TODO e não partes de um quebra cabeça. Saiba que exite técnicas que podem te ajudar a juntar as partes de você que estão em conflito.

Felizmente, nem todas as partes do nosso inconsciente estão em conflito. Para saber se um conflito existe dentro de você, fique atento quando você viver um dilema. Convide seu inconsciente a se manisfestar. Fique atento aos sinais emitidos por ele. Aprenda a SE escutar!

Uma bela vida a todos!

Sherlla Oliveira

Experte em estratégias de mudança